“E a gente fala da gotinha que erra de folha em folha e, trêmula, cintila”

Quando uma nuvem nômade destila
gotas, roçando a crista azul da serra,
umas brincam na relva; outras, tranqüila,
serenamente entranham-se na terra.

E a gente fala da gotinha que erra
de folha em folha e, trêmula, cintila,
mas nem se lembra da que o solo encerra,
da que ficou no coração da argila!

Quanta gente, que zomba do desgosto
mudo, da angústia que não molha o rosto
e que não tomba, em gotas, pelo chão,

havia de chorar, se adivinhasse
que há lágrimas que correm pela face
e outras que rolam pelo coração!

Guilherme de Almeida

Uma opinião sobre ““E a gente fala da gotinha que erra de folha em folha e, trêmula, cintila”

  1. Manhã de verão… Sem pressa em mim, mas voando em algumas esquinas!
    Quase hora do almoço por aqui!
    Já sinto os cheiros dos fornos e começo a ouvir o tiritintar dos pratos indo para a mesa.
    A primavera deixou flores e perfumes e acho que ainda ficarão por aqui um bom tempo…
    Ótimo momento para visitar os amigos…
    Beijos e um excelente final de semana.

    Ps. Cheguei até aqui por causa do Guilherme Almeida… As vezes os caminhos nos surpreendem.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s