“crônica de uma Vida de Mulher”

“E mais uma vez saltou da cama, arrastou-se pelo quarto ao lado ate diante da porta da sra. Nebling; ouviu, bateu, tudo ficou em silêncio. Ela voltou a se recuperar. Mas o que ela estava querendo da sra. Nebling? Não precisava dela. Não precisa de ninguém. Queria era estar sozinha, continuar sozinha, conforme havia estado o tempo inteiro. (…) Não, nada de ajuda, não. Ela queria sucumbir. Era melhor que sucumbisse de uma vez por todas… Ela e a criança, e com a criança o mundo inteiro.”

trecho do livro “Crônica de uma Vida de Mulher”, de Arthur Schnitzier.

Anúncios