Desiderato

Texto encontrado em Baltimore, USA, na antiga igreja de Saint-Paul, em 1962.

No meio do barulho e da agitação, caminhe tranquilo pensando na paz que você pode encontrar no silêncio.
Procure viver em harmonia com as pessoas que estão ao seu redor, sem abrir mão de sua dignidade.
Fale sua verdade, clara e mansamente. Escute a verdade dos outros, pois eles também têm a sua própria história.
Evite as pessoas agitadas e agressivas: elas afligem o nosso espírito.
Não se compare aos demais, olhando as pessoas como superiores ou inferiores a você, isso o tornaria superficial e amargo.
Viva intensamente os seus ideais e o que você já conseguiu realizar.
Mantenha o interesse no seu trabalho por mais humilde que seja: ele é um verdadeiro tesouro na contínua mudança dos tempos.
Seja prudente em tudo o que fizer, porque o mundo está cheio de armadilhas, mas não fique cego para o bem que sempre existe. Há muita gente lutando por nobres causas. Em toda parte o mundo está cheio de heroísmo.
Seja você mesmo. Sobretudo não simule afeição e não transforme o amor numa brincadeira, pois no meio de tanta aridez, ele é perene como a relva.
Aceite com carinho o conselho dos mais velhos e seja compreensivo com os impulsos inovadores da juventude.
Cultive a força do espírito e você estará preparado para enfrentar as surpresas da sorte adversa.
Não se desespere diante de perigos imaginários: muitos temores têm origem no cansaço e na solidão.
Ao lado de uma sadia disciplina conserve, para consigo mesmo, uma imensa bondade.
Você é filho do Universo, irmão das estrelas e árvores. Em você pulsa a mesma força que cria galáxias e move nebulosas. Você merece estar aqui. E mesmo que você não possa perceber, a Terra e o Universo vão cumprindo o seu destino. Procure pois estar em paz com Deus, seja qual for o nome que você lhe der.
No meio de seus trabalhos e aspirações, na fatigante jornada pela vida, conserve, no mais profundo do ser, a harmonia e a paz.
Acima de toda mesquinhez, falsidade e desengano, o mundo ainda é bonito.
Caminhe com cuidado. Faça tudo para ser feliz e partilhe com os outros a sua felicidade.

“Nada poderia ter sido feito”

Atraso Pontual

Ontens e hojes, amores e ódio,
adianta consultar o relógio?
Nada poderia ter sido feito,
a não ser o tempo em que foi lógico.
Ninguém nunca chegou atrasado.
Bençãos e desgraças
vem sempre no horário.
Tudo o mais é plágio.
Acaso é este encontro
entre tempo e espaço
mais do que um sonho que eu conto
ou mais um poema que faço?

(Paulo Leminski)

Estou felizmente mais doida

Cadê eu? perguntava-me. E quem respondia era uma estranha que me dizia fria e
categoricamente: tu és tu mesma.
Sou hábil em formar teoria.
Faço perguntas a uma audiência invisível e esta me anima com as respostas a prosseguir.
Depois que eu recuperei meu contato comigo é que me fecundei e o resultado foi o nascimento
alvoroçado de um prazer todo diferente do que chamam prazer.

(…)

Estou felizmente mais doida.
Será que a polícia me pega? Me pega porque existo? paga-se com prisão a vida: palavra linda,
orgânica, sestrosa, pleonástica, espérmica, duróbila.
Ela tem que levar uma vida pacata, bem acomodada, bem burguesa. Senão a loucura vem. É
perigoso.
É preciso calar a boca e nada contar sobre o que se sabe e o que se sabe é tanto, e é tão glorioso.
Sei criar silêncio.
Para tudo: criei o silêncio.
Sinto em mim uma violência subterrânea,
violência que só vem à tona no ato de escrever.
Depende de mim o seu destino?
Ver é a pura loucura do corpo.
Vida imaginária é viver do passado ou para o futuro.

(…)

Quem és tu que me lês? És o meu segredo ou sou eu o teu segredo?

Os desejos inconscientes do homem são seu destino

“Os desejos inconscientes do homem são seu destino”, disse Freud.

1.414. Dias públicos dessa paixão. Representada em fragmentos. Personagens. Que não existiram. Que foram reais. Imagens. Músicas. Confissões. Imperfeições. Alegrias. Segredos. Descobertas. Dulce est desipere in loco… e adeus!

“O que não enfrentamos em nós mesmos encontraremos como destino”.

fragmentos de Carl Gustav Jung

“O que não enfrentamos em nós mesmos encontraremos como destino”.

“O homem que não atravessa o inferno de suas paixões também não as supera. Elas se mudam para a casa vizinha e poderão atear o fogo que atingirá sua casa sem que ele perceba. Se abandonarmos, deixarmos de lado, e de algum modo esquecermo-nos excessivamente de algo, corremos o risco de vê-lo reaparecer com uma violência redobrada.”

“O inconsciente sabe mais que o consciente mas seu saber é de uma essência particular, de um saber eterno que, frequentemente, não tem nenhuma ligação com o ‘aqui’ e o ‘agora’ e não leva absolutamente em conta a linguagem que fala nosso intelecto.”

“Nenhuma circunstância exterior substitui a experiência interna. E é só à luz dos acontecimentos internos que entendo a mim mesmo. São eles que constituem a singularidade de minha vida”.